NOITE INDIANA – Fotografia e Tertúlia sobre Auroville

zaadmi2 cópia

3 de março | Centro InterculturaCidade

19h – Abertura da exposição de fotografia “O Homem Comum”, de Fernando Cardoso e visita guiada pelo autor
Discurso direto:
“O homem comum” é o título desta exposição. Pessoas comuns que cruzam os caminhos da Índia. Pessoas que interpelam o olhar e o estar. Procurei entender e partilhar uma humanidade comum vertida no quotidiano com outros códigos e outros sinais, aparentemente tão distinta e tão longe da nossa racionalidade desinfectada. Esta mostra é um registo de impressões e sensações, rostos, paisagens, espiritualidades,, gestos breves, pedaços de memória que agora se organizam para serem lidos.
Namasté. Om shri Ganeshay namah!

22h – Tertúlia sobre a experiência de Auroville, orientada por Fernando Cardoso*
Início do projecto Auroville em 28 de Fevereiro de 1968. Cidade em construção programada para 50 000 habitantes, situada no Sul da Índia, no estado de Tamil Nadu, aproximadamente 150 km ao sul de Chennai. O conceito da cidade é o de experimentar a unidade humana, a transformação da consciência, a vida sustentável. Auroville quer assegurar as futuras necessidades culturais, ambientais, sociais e espirituais do homem. Os actuais aurovilianos provêm de 49 países de todas as classes e credos. São cerca de 2500 dos quais um terço é indiano.
*Fernando Cardoso nasceu em 11 Março de 1948. É designer de comunicação, diplomado em História de Arte Indiana pela BHU (Universidade Hindu de Banaras) e Presidente da Associação de Exilados Políticos Portugueses. Viaja e investiga frequentemente na Índia.

 

Anúncios

Curso de Crioulo de Cabo Verde: início a partir de Março de 2018 – Inscrições Abertas

Estão abertas as inscrições para o próximo Curso de Crioulo realizado pelo Centro InterculturaCidade.
Trata-se de um curso de educação não-formal, de introdução à língua e cultura de Cabo Verde com uma carga de 30 horas ministrado por António Firmino. Tem como objetivo dotar os alunos de competências básicas para desenvolver a compreensão e expressão oral e escrita do crioulo de Cabo Verde. O curso apresenta interesse particular para pessoas que pretendam desenvolver contactos profissionais ou pessoais em Cabo Verde ou na Diáspora, ou em outros contextos em que haja contacto com públicos falantes do crioulo, ou ainda para quem queira conhecer melhor a história e a cultura do país da “morabeza”. Os seus conteúdos programáticos abordam diversos aspetos técnicos e culturais relativos às origens do crioulo de Cabo Verde, às suas variantes atuais, às personalidades que foram essenciais no seu desenvolvimento, bem como às características gramaticais, ao sistema de escrita, leitura e interpretação, tradução de textos e conversação.

Custos de inscrição: 120 €

Horários disponíveis:
A) –  2ªs e 4ªs feiras das 19h30 ás 21h30 [15 sessões de 2 horas]
Início a 19 de Março 2018

B)Sábados das 14h às 18h [7 sessões de 4 horas e 1 sessão de 2 horas]
Início a 24 de Março 2018

Faça já a sua Pré-Inscrição preenchendo o formulário disponibilizado AQUI
Logo após receção do formulário entraremos em contacto para dar indicações para a confirmação da inscrição.

“When I’m 64” – Exposição de pintura de Raul Rosa

Visitas guiadas pelo artista às quintas-feiras dias 15 e 22 de Fevereiro, às 18h30

Raul Rosa nasceu em Tomar a 25 de Julho de 1954. O seu percurso passou pela música, onde participou nos grupos de pop-rock “Twinklers”, “ebb and flood”, “Arsenova” e de rock sinfónico “Tantra” e “Perspectiva”. Licenciou-se em Arquitectura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa (1981), exercendo a profissão de arquitecto até 2010. Foi professor de artes visuais na Escola Secundária José Gomes Ferreira entre 1991 e 2014.
Participou na Exposição Nacional de Arquitectura, em 1986, na Bienal da Vidigueira, em 2012 (com a obra “À Espera do Gama”, que obteve uma Menção Honrosa nesse certame) Bienal de Arte de Vila Nova da Cerveira, em 2017 (com a obra “Space and Time”). Realizou várias exposições, das quais destaca: “Do Sagrado e do Profano” – Galeria Municipal de Tomar, 1999; “Do Desejo e da Paisagem” – Convento de Cristo, Tomar, 1995; “Babel” – Livraria Ler Devagar, Lisboa, 2001; “Não Bola Nada” (com Lindu Mona) – Bar Amadora, 2002; “A Banca” – Martim Moniz, Lisboa, 2016.